Somos uma família cristã. A nossa missão é adorar a Deus, ensinar a Sua Palavra e comunicar Jesus Cristo, o único que pode perdoar, dar a salvação e uma vida de qualidade 

Sexta-feira, 1 de Julho de 2005

Casamentos Entre Homossexuais

A recente aprovação pelo congresso espanhol da lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo e ainda permite que estes “casais” homossexuais adoptem crianças, leva-me a dizer o seguinte:

I - Não vos enganeis


“O que é natural para as pessoas deste mundo,
não é natural para aqueles que pertencem ao Reino de Deus”



Antes de mais quero afirmar aqui que escrevo como cristão, independentemente da igreja a que pertenço. Entendo que cristãos são todos aqueles que seguem a Cristo, ou seja, os Seus ensinamentos registados na Bíblia Sagrada. Para tal é necessário aceitar este Livro Sagrado, no seu todo, como regra e prática para a vida, tanto nas questões espirituais como nas questões éticas e morais.

Gostaria apenas de citar um versículo bíblico que se encontra na primeira Epístola de Paulo aos Coríntios, no contexto do capítulo seis, versículos nove a vinte, que é uma advertência contra a frouxidão moral - “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas,” (v. 9). As palavras “efeminados” e “sodomitas” referem-se ao homossexualismo. A advertência de Paulo é apresentada em função do incesto, homossexualismo, pederastia e outras práticas sexuais que predominavam entre os gregos e os romanos. O Apóstolo não queria que o cristianismo fosse confundido com grupos de pessoas que permitiam tais costumes pecaminosos. Por essa razão ele é muito claro e directo: “Não vos enganeis. Tais práticas não têm lugar no Reino de Deus”. A Bíblia é clara ao afirmar que toda a prática homossexual é “abominação para Deus”. Os seguintes versículos bíblicos não deixam margem para dúvidas (convido-te a leres em Deuteronómio 23:18; Levítico 18:22; 20:13).

Entendo que o papel do cristianismo não é o de organizar movimentos de perseguição a pessoas com esta forma de vida, ou outras que não as cristãs. Qualquer “tipo de inquisição” não cabe na Igreja de Cristo e certamente não é aprovada por Ele. Aliás, o exemplo que vemos no nosso Mestre é o de um Deus de braços abertos para receber toda a gente. Todos os que foram até Ele puderam sentir amor e ajuda. Porém, só os que reconheceram o seu próprio pecado, arrependidos deixaram as suas práticas pecaminosas e aceitaram Jesus como Salvador e Senhor das suas vidas, tornaram-se Filhos de Deus e discípulos de Cristo. Numa palavra, cristãos. Posto isto, posso afirmar ainda que uma igreja cristã, incluindo a ieba, deve estar pronta para ajudar todos aqueles que venham até ela, quer sejam homossexuais, adúlteros, ladrões, avarentos, alcoólicos, toxicodependentes, maldizentes... Para isto fomos ungidos: “proclamar liberdade aos cativos, abrir as prisões aos presos e restaurar os contritos de coração” (Isaías 61:1).


II - Não me forcem a aceitar



“Também na minha mente está bem claro que aquilo que é natural para os cristãos, não é natural para os não cristãos.”



É certo que vivemos num país democrático e laico (??), onde as pessoas são livres de adoptarem a sua própria “filosofia de vida”. É certo que os cristãos não podem obrigar, quem quer que seja, a adoptar os princípios éticos e morais que regem as suas vidas. Mas também é certo que quem não tem os mesmos conceitos de vida que eu e muitos portugueses, não tem o direito de me impor uma sociedade que considero não ser a melhor.

Pelo pouco que conheço da história da humanidade, sei que todas as sociedades que caminharam nessa direcção (ditas civilizadas, eruditas e mesmo avançadas para a sua época), o seu fim foi o desrespeito pelo seu semelhante, a degradação da raça humana e o colapso dessas mesmas sociedades. Não quero que isto aconteça com o meu Portugal. Não quero deixar para os meus filhos um país em que se olha para o normal da natureza humana, como uma anormalidade. Não. Não quero deixar para os meus descendentes uma herança destas.

Como já disse, não posso impor aos outros os princípios que regem a vida da minha família, mas também não posso aceitar qualquer tipo de lei que contribua para uma sociedade corrompida de valores.

Certamente que me irei opor a uma lei destas em Portugal.

Pr. Jaime Fernandes
escrito p/ jaime fernandes às 11:47
link do post | comentar | favorito
|
online

. mais sobre mim

. a ieba

Horário de Domingo

Onde estamos

Quem somos

Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisar

 

. posts recentes

Novo Blog da ieba

Um Natal de Paz!

Santificação automática

Parabéns, Tânia e Rui

O cristianismo de hoje

A maldição do homem moder...

Desfrutar do céu

Semelhante a um sino de p...

O Baptismo - II

Estás pronto?

. arquivos

Dezembro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

. assuntos (tags)

aiba

alfandanga

amor

baptismo

blog

blogs da ieba

bog da ieba

família

ieba

igreja

igreja evangélica baptista de alfandanga

igrejas baptistas

igrejas evangélicas

músicas

novo blog

Páscoa

reflexões

sapo

todas as tags

. orar por Portugal

. ligações

. últimas fotos

blogs SAPO
Estou no Blog.com.pt

subscrever feeds