Somos uma família cristã. A nossa missão é adorar a Deus, ensinar a Sua Palavra e comunicar Jesus Cristo, o único que pode perdoar, dar a salvação e uma vida de qualidade 

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2006

A oração exige pureza de vida

“Quero, portanto, que os varões
orem em todo o lugar,
levantando mãos santas,
sem ira e sem animosidade.”
(I Timóteo 2:8)


“levantando mãos santas” – esta era uma postura comum para a oração e que representava a pureza de vida... algo necessário para uma comunhão verdadeira em oração!

Comece este ano com um propósito: “que a sua vida seja cada vez mais pura, com atitudes que agradam a Deus”.

(in "Folha do Devocional" de Janeiro/06, da ieba)
escrito p/ jaime fernandes às 12:01
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 13 de Janeiro de 2006 às 10:41
A oração exige pureza de vida: bem exige, mas se estivéssemos á espera de estar puro para orar então então... Prefiro, eu pecador, pedir para que me ajude a tornar a minha vida pura.
Bom fim de semana!PDivulg
(http://www.lacosazuis.blogs.sapo.pt)
(mailto:pdivulg@sapo.pt)
De Anónimo a 12 de Janeiro de 2006 às 12:12
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.apaixonada
</a>
(mailto:apaixonada_1@sapo.pt)

Comentar post

online

. mais sobre mim

. a ieba

Horário de Domingo

Onde estamos

Quem somos

Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisar

 

. posts recentes

Novo Blog da ieba

Um Natal de Paz!

Santificação automática

Parabéns, Tânia e Rui

O cristianismo de hoje

A maldição do homem moder...

Desfrutar do céu

Semelhante a um sino de p...

O Baptismo - II

Estás pronto?

. arquivos

Dezembro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

. assuntos (tags)

aiba

alfandanga

amor

baptismo

blog

blogs da ieba

bog da ieba

família

ieba

igreja

igreja evangélica baptista de alfandanga

igrejas baptistas

igrejas evangélicas

músicas

novo blog

Páscoa

reflexões

sapo

todas as tags

. orar por Portugal

. ligações

. últimas fotos

blogs SAPO
Estou no Blog.com.pt

subscrever feeds